Arquivo da tag: Corpo

CALDO DE CANA É NOVO ALIADO NAS ACADEMIAS

O caldo de cana já foi um grande vilão das dietas. No entanto, está se tornando queridinho entre os frequentadores assíduos das academias – especialmente os adeptos a treinos intensos. É que, de acordo com uma pesquisa feita pela Unicamp, a bebida garante uma menor queima de massa muscular quando comparada a outros suplementos.

Divulgação / Kanai
Divulgação / Kanai

O consumo pré-treino é recomendado porque a garapa é fonte de energia. Já o consumo pós-treino ajuda a recuperar os músculos de forma eficiente, evitando a fadiga, além de hidratar o corpo rapidamente e repor as vitaminas e minerais perdidos durante a prática de atividade física.

Isso acontece porque o caldo de cana é rico em glicogênio, uma combinação de moléculas de glicose, adquiridas do consumo de carboidratos, fornecendo energia imediata ao organismo e potencializando os resultados. Segundo especialistas, comparado a outras vitaminas e minerais, repõe aproximadamente 60 % mais glicogênio.

A bebida também é fonte das vitaminas A, B e C; ferro; cálcio; potássio e magnésio. E mais: ao contrário do que muitos pensam, possui poucas calorias. Um copo de 250 ml de caldo de cana possui apenas 124 kcal. Um copo de suco de laranja do mesmo tamanho, por exemplo, possui 173 kcal.

As propriedades do caldo de cana foram detalhadas em uma pesquisa desenvolvida pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os pesquisadores acompanharam a rotina dos jogadores da Ponte Preta para saber como o corpo deles reagia diante de tantos exercícios. Eles analisaram o nível de ureia no sangue dos atletas logo após os treinamentos. Essa substância ajuda a avaliar se existe ou não perda muscular. Substituindo os suplementos energéticos industrializados por uma rodada de garapa ao fim de cada treino os pesquisadores concluíram que os índices de ureia no sangue diminuíram, o que significa uma menor queima de massa muscular. Na prática, eles passaram a ser capazes de correr mais, sem perder músculos, melhorando o rendimento.

Além de ser bebida tradicional nas feiras de rua, o caldo de cana também pode ser encontrado nos supermercados – o da marca Kanaí, por exemplo, é produzido artesanalmente, e é o primeiro em garrafinhas de vidro do país, sem adição de açúcar refinado, corantes ou conservantes.

Fonte: siterg.uol.com.br

Homens também podem ter câncer de mama

Só 1% do total de casos de tumores de mama acomete homens, segundo o Instituto Nacional de Câncer. Enquanto 14 mil mulheres brasileiras morrem por ano dessa doença, menos de 200 homens sofrem o mesmo destino. No entanto, é preciso reforçar a necessidade de a população não negligenciar o problema, alerta a médica patologista Cristiane Nimir, especialista em mama e integrada ao núcleo de mastologia do hospital Sírio-Libanês.

cancer_mama_masculino

Atualmente, os tumores mamários em homens são associados a uma maior mortalidade do que os femininos. Porém, isso não significa uma maior agressividade da doença em si, e sim um diagnóstico tardio. Isso acontece porque a doença tende a ser flagrada no sexo masculino somente quando já está em estágio avançado. “Os homens nunca esperam padecer desse mal. Dessa forma, só vão notá-lo quando, por exemplo, os nódulos tumorais já estiverem relativamente grandes no peito”, diz Cristiane. Além disso, eles demoram a procurar ajuda por preconceito ou vergonha.

Em geral, o tratamento é semelhante ao câncer de mama feminino e envolve mastectomia – uma cirurgia que remove todo o peito -, quimio/hormonioterapia e radioterapia. Do ponto de vista de prevenção, manter um bom peso e fazer exercícios regularmente é sempre a melhor opção. A especialista também destaca ter atenção ao uso de anabolizantes nas academias. “O uso indiscriminado de hormônios é fator de risco para o aparecimento da mama masculina e o desenvolvimento de doenças a ela associadas”, afirma. Ficar de olho no histórico familiar também é essencial: ter muitos parentes com câncer pode representar um fator de risco para o desenvolvimento da doença.

Sobre Cristiane da Costa Bandeira Abrahão Nimir
Especialista em patologia mamária. Integrada ao Grupo de Mastologia do hospital Sírio Libanês e do Centro de Oncologia do Hospital São José. Patologista da Sociedade Brasileira de Mastologia. Exposta a uma amostra com cerca de 3000 casos de patologia mamária por ano. Tornou-se referência nacional em patologia mamária. Autora e co-autora de diversos capítulos de livros, inclusive na enciclopédia adotada como referência na área na América Latina.

Fonte:  Notícias do Mercado Comunicação Corporativa

Dieta com carne vermelha ajuda na prática de esportes

Nutricionista esportiva dá dicas para evitar o desgaste dos músculos na plataforma

Academia_da_carne
Academia da Carne Friboi

A busca por um corpo perfeito faz, muitas vezes, as pessoas abrirem mão de uma série de alimentos que poderiam trazer muitos benefícios e contribuir ainda mais para os resultados esperados. Uma dieta balanceada, baseada em um plano alimentar correto, é a chave para o sucesso de quem pratica exercícios com o objetivo de perder peso e fortalecer a musculatura. Em entrevista à plataforma Academia da Carne Friboi, a nutricionista esportiva Livia Hasegawa, formada pela Universidade de São Paulo (USP), dá dicas para repor as energias e também para compensar o desgaste natural dos músculos.

A profissional recomenda, em primeiro lugar, o aumento do consumo diário de proteínas. “Se a pessoa não comer direito antes e depois da atividade física, ela pode não conseguir render bem no dia seguinte. A imunidade pode cair e a pessoa pode ficar doente, se sentir cansada ou com muita dor”, diz a nutricionista. Ela recomenda variar o cardápio de proteínas durante a semana: carnes vermelhas, frango, peixe, iogurtes e queijos, assim como proteínas vegetais como grão de bico e ervilha, são itens que não devem faltar na mesa.

“Comendo carne vermelha de forma equilibrada, você vai ter a sensação de saciedade por mais tempo, então você não vai sentir fome tão cedo. O ferro da carne é importante para a hemoglobina que transporta oxigênio para as células. Com baixa hemoglobina ou anemia, você não vai conseguir correr e ter um bom rendimento”, explica a nutricionista, que completa: “O zinco, outro mineral dessa fonte de proteína, é importante para a imunidade e para o corpo construir massa muscular. E não podemos esquecer da vitamina B12. A carne vermelha é uma das principais fontes dessa vitamina. Ela faz parte do processo de produção de energia no nosso organismo”, finaliza a nutricionista.

A plataforma traz ainda uma série de receitas “magras”, suculentas e saudáveis.
Não perca tempo e acesse agora mesmo

www.academiadacarnefriboi.com.br .

Fonte: JBS

Médico do esporte explica como preparar o corpo para competições e evitar lesões

Ortopedista e médico do esporte do Hospital Santa Paula dá orientações de como se preparar para as práticas esportivas e prevenir lesões

alongamento-euatleta-get

Com a proximidade dos Jogos Olímpicos, muitas pessoas se deixam levar pelo espírito esportivo e passam a se aventurar em novas modalidades. De acordo com o ortopedista e médico do esporte do Hospital Santa Paula, Fabiano Cunha, o evento estimula um aumento no número de pessoas interessadas em ingressar em práticas esportivas regulares.

Para os iniciantes, é preciso seguir alguns passos:

1 – Escolha uma modalidade compatível com sua condição física atual
2 – Faça um check-up com um médico do esporte
3 – Busque um treinador qualificado
4 – Tenha uma alimentação saudável
5 – Coloque um objetivo nos seus treinos, uma meta; fica mais prazeroso treinar pensando em uma viagem, ou algum evento festivo
6 – Aumente o seu limite aos poucos, só assim você irá evoluir, além de evitar lesões e cansaço

De acordo com o especialista, ao iniciar um programa de exercícios o corpo interpreta seu comportamento e ajusta o metabolismo de acordo com a regularidade dos treinos. “Para os iniciantes, é muito mais efetivo realizar uma caminhada de 40 minutos, 3 vezes por semana, do que caminhar 2 horas no domingo e passar mais 6 dias sem fazer nada. O corpo gosta de regularidade e se acostuma com isso, seja com exercícios regulares ou com o ócio regular”, explica.

O médico afirma que muitos pacientes o procuram com a mesma queixa de que fizeram exercícios e depois de um mês não tinham emagrecido nada e ficaram cheios de dores. “É preciso entender o corpo. Você passa um ano sem se movimentar e de repente volta a caminhar. O cérebro fica confuso, não sabe que você quer emagrecer, só sabe que você não faz exercício. Neste primeiro momento, ele manda mensagens para o corpo entrar em estado de alerta. Daí que vêm as palpitações, formigamentos e as quedas de pressão que muitas pessoas reclamam no primeiro mês de um programa físico”, diz.

Para Cunha, o importante é traçar uma meta. “Estamos em junho e você quer eliminar uns quilinhos para fazer uma viagem em dezembro. Dá tempo de emagrecer gradualmente, com foco na viagem, sem estressar o corpo e progredindo com calma “, ressalta.

Prevenção de lesões

Pela cultura do brasileiro, procuramos apenas um tratamento quando o diagnóstico ou uma lesão já ocorreu. Pouco se trabalha a prevenção de possíveis lesões, especialmente na prática de atividade esportiva.

Segundo dados da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), grande parte das lesões não estão associadas a colisões ou quedas, e sim à rotação e explosão muscular. Apenas 24,1% dos atletas se lesionam em choques, contra 39,2% com lesões musculares e 17,9% que sofrem torções. O estudo também aponta que 72,2% dos traumatismos ocorrem nos membros inferiores – como joelho (11,8%), tornozelo (17,6) e coxas (34,5%).

“A maior incidência de lesões acontece por falta de aquecimento ou exagero na realização das atividades, seja por muita intensidade, muita carga ou longa duração”, alerta Cunha.

O médico do esporte é o profissional que pode sugerir exercícios funcionais para a prevenção de lesões que vão oferecer um ganho na prática esportiva, pois simulam os movimentos do esporte específico e visam a estabilidade, o equilíbrio e a ativação muscular, prevenindo e aumentando o desempenho e o gesto esportivo. Os exercícios são divididos em níveis e o esportista evolui de acordo com sua capacidade de executar os movimentos com maior precisão e menos gasto energético.

“Em qualquer exercício físico podem ocorrer lesões, mas isso não deve te desanimar. Tratadas adequadamente, você pode fazer sua viagem em dezembro em ótimas condições”, conclui Cunha.

Sobre o Hospital Santa Paula

O Hospital Santa Paula, centro de excelência em saúde da zona sul de São Paulo, foi inaugurado em 1958. O HSP ocupa uma área de 15 mil m², possui 200 leitos, 09 salas de cirurgia e 50 leitos dedicados à terapia intensiva: 32 na UTI Geral, 9 na UTI Cardiológica e 9 na UTI Neurológica. O Centro Cirúrgico HSP possui 09 salas de cirurgia e 10 leitos para recuperação anestésica. Anualmente, o HSP realiza 7.500 procedimentos cirúrgicos, 12 mil internações e atende no Pronto Atendimento cerca de 100 mil pacientes. O hospital emprega mais de 1.200 colaboradores e possui um corpo clínico aberto com 1.500 médicos. O HSP é acreditado ONA – Organização Nacional de Acreditação, nível 3, desde 2008; em 2012, conquistou a certificação Joint Commission International (JCI) e em 2014 conquistou certificação Joint Commission International para tratamento de AVC.

Endereço: Av. Santo Amaro, 2468 – Vila Olímpia – (11) 3040-8000
Para mais informações acesse: www.santapaula.com.br

Fonte: Brodeur Partners

Nike quer ser seu personal trainer com nova versão de app

Procurando um personal trainer para seus exercícios? A Nike quer ser essa pessoa—ou melhor, esse app. Hoje a empresa está lançando a nova versão do seu aplicativo de exercícios físicos, o Nike+ Training Club.

Nike_training_club_703

“A minha parte favorita no novo aplicativo é a possibilidade de personalização. Eu acho que isso também será o ponto alto do Nike+ Training Club para os usuários”, contou a EXAME.com Jay Lee, diretor de produtos sênior do Nike+.

Assim como Lee definiu em nossa conversa, o objetivo do app é ser um personal trainer de bolso. Ele será capaz de auxiliar o usuário a atingir seus objetivos de exercícios físicos. Mas isso não será feito de forma genérica. Ao fornecer informações sobre sua condição física, o usuário ganha um treino personalizado.

Mas o trabalho de moldar o app para o usuário não acaba por aí. Ao final de cada um dos exercícios, o atleta precisa dar um feedback dizendo se cansou demais, se a atividade foi muito puxado ou se estava dentro de suas capacidades. A cada avaliação como essa, o serviço da Nike fica mais e mais apurado.

“No começo, todos os usuários do aplicativo terão uma experiência parecida. À medida que os treinos são feitos e que o feedback é dado, isso muda e toma mais o perfil do usuário”, disse Lee.

No total são 100 treinos disponibilizados no aplicativo e divididos em três grandes categorias: força, resistência e mobilidade. As opções mostram exercícios para quem tem acessórios e pesos à disposição ou para quem não tem nada para usar.

Criados por parceiros da Nike, os treinos trazem vídeos que mostram as posições corretas. Trabalhar com parceiros profissionais foi uma das grandes preocupações da empresa.

“Tudo que fazemos começa com confiança. Para nós, é absolutamente importante termos os melhores experts trabalho nisso. É isso que eles fazem todos os dias e são parte da comunidade da Nike”, afirmou Lee. “Sem essa relação de confiança, nada funcionaria.”

Um empurrãozinho. Ou dois

“Pessoalmente, preciso de um empurrãozinho e nada me incentiva mais do que ver meus amigos fazendo exercícios”, explicou Lee. Por conta disso, o Nike+ Training Club traz uma área de feed. Ali, é possível compartilhar imagens de seus treinos e ver o que seus amigos andam fazendo. A ideia é despertar o lado competitivo de cada um.

Outro recurso promete incentivar é a conexão com o Spotify, para que as músicas certas toquem na hora do treino. A própria Nike criou algumas listas especiais no serviço de streaming para dar uma animadinha em quem precisar.

Criado em 2009, o Nike+ Training Club foi desenvolvido com foco no público feminino. A empresa, no entanto, deixou isso para trás. Lee explica que hoje, o aplicativo é voltado para todos os públicos.

Entender diferentes atletas, inclusive, foi o grande objetivo desta nova versão. “O que ouvimos de nossos atletas é que era preciso um treino personalizado. Cada um tem um nível e um objetivo. Posso dizer que hoje ninguém tem um programa personalizado e de graça como o que temos nessa nova versão”, disse Lee.

A nova versão do Nike+ Training Club está sendo lançado oficialmente hoje. Ele é grátis, em português e está disponível para Android e iOS.

Fonte: Exame.com

Os 10 carboidratos essenciais para os esportistas

Por Rocio Rio de la Loza, Health Coach.

Os carboidratos são fundamentais na dieta diária, fonte essencial de energia para o corpo, além de oferecer outros benefícios para a saúde quando consumidos de forma responsável.

Espelta_art

 

Porém a desinformação existe e muitos não sabem como os carboidratos podem nos ajudar a conseguir um melhor desempenho em nossas atividades diárias. É necessário aprender a distinguir entre os “bons” e “maus” (que prejudicam a saúde) para começar a ter uma alimentação saudável. Para manter o ritmo de exercício e conservar os músculos em ótimas condições o organismo requer de energia suficiente para consegui-lo. Um cuidado essencial para aquelas pessoas que realizam alguma atividade física.

Este combustível para o corpo provém dos carboidratos. Aqui apresentamos as dez fontes mais importantes para os esportistas, que os ajudam a melhorar o rendimento físico:

1. Frutas

As frutas aportam carboidratos, vitaminas, minerais e fibras. Antes de treinar a melhor opção é consumir uma pera, maça, frutas vermelhas ou uvas. Para depois do exercício opte por uma banana, melancia, melão doce ou laranja.

2. Barras energéticas

Elas podem ser consumidas antes, durante ou depois das atividades físicas para abastecer ou reabastecer rapidamente o corpo de energia. As barras energéticas devem trazer em sua composição uma alta quantidade de carboidratos, moderada em proteínas e com baixa quantidade de gorduras e fibras.

3. Bebidas esportivas

Além de hidratar, dão energia graças à alta quantidade de carboidratos (açúcar). Seu uso está unicamente recomendado quando associado à prática de exercício.

4. Arroz integral

O arroz é um cereal rico em carboidratos, ao ser integral aporta também fibra, vitaminas e minerais. A diferença de outros hidratos de carbono, o arroz não fornece energia de forma imediata, mas se mantém constante ao longo do dia.

5. Legumes

Proporcionam energia, assim como fibras, vitaminas e minerais. Não se recomenda consumir antes de praticar exercícios porque provocam gases intestinais.

6. Iogurte

Consumir antes ou depois do treino pela rapidez com que proporciona energia. De preferência aos iogurtes naturais.

7. Aveia

A aveia é um cereal bem versátil, pode ser mesclada em vitaminas ou na massa de bolos e biscoitos. Proporciona além de energia, fibra, proteínas, gordura, vitaminas e minerais.

8. Pão e pasta integral

Se busca conseguir energia constantemente e mantê-la ao longo do dia, então os produtos integrais são a opção número um, já que fornecem ao organismo fibra, vitaminas e minerais.

9. Quinoa

Pode combinar com vitaminas ou iogurte, é uma boa fonte de carboidratos, proteínas e fibra.

10. Batatas

São fáceis de combinar com os alimentos e seu sabor é bastante neutro, então agrada a qualquer pessoa. São extraordinárias fontes de energia, vitaminas e minerais.

É preciso controlar o consumo dos carboidratos para evitar seus efeitos negativos. Os especialistas recomendam que eles somem entre 55-60% do total de calorias da dieta, 12-15% proteínas e um 25% gordura. Lembramos que esta porcentagem depende especificamente de cada pessoa e sua atividade física. Em especial as pessoas que realizam exercícios de forma regular, já que as necessidades de nutrientes variam segundo o treinamento, especialidade que praticam entre outros fatores. Por isso o recomendável para uma alimentação saudável é consultar anteriormente um especialista em nutrição.

Fonte: Matias Carrocera